segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Histórias de um surfista do caminho


Bom galera, segue ai pra vocês um testemunho de um cara que admiro demais, Carlos Bezerra, um irmão na Fé que é um grande exemplo de um surfista que anela pelo OUTSIDE DE CRISTO.


___________________________________________

Semana passada me deparei com algo que me pegou de surpresa. Estava me preparando para um acampamento de adolescentes quando recebi um pedido de uma amigona minha.

Ela me pedia para que escrevesse um texto falando do meu testemunho, do início da minha caminhada. Brincando, eu disse para ela que nem eu sabia quando tinha acontecido.

Interessante é que eu nunca parei par escrever um testemunho de conversão meu. Já ouvi e li de várias pessoas e amigos e, toda vez que via alguém pregando sua conversão, seu testemunho, eu pensava sobre o meu mas, Deus sempre falava ao meu coração para que eu não pensasse em relatar isso naquele momento em que pensava.

E assim, nunca parei para pensar nele. Nos últimos dias comecei a reformular e a juntar as peças desse quebra-cabeças que faz de mim um surfista cristão, ou melhor, um cristão surfista.


Nasci em um lar cristão católico, um lar onde os valores morais de Jesus, o caráter de Jesus era referencial para moldar o nosso.

Meus pais sempre foram pessoas tementes a Deus e conscientes da presença de Deus nas nossas vidas. Minha família sempre foi extremamente católica. Minha tia trabalhava na administração da igreja perto de onde morava, tenho um tio que fez seminário para ser padre mas, largou no meio dos estudos, enfim, nossa família sempre foi cristã e cresci no meio dos valores de Jesus.

Esses valores foram muito evidenciados na minha educação e quando me percebi garotinho na escola, notei que a educação e a forma com a qual tinha aprendido em casa a me relacionar não era “compatível” com a realidade dos meninos de um modo geral.

Sofri muito porque acabava percebendo que era sincero, buscava ser legal e muitas vezes a galera detonava comigo.

Com o passar dos anos lembro que fui criando uma casca para me defender da galera, me defender do sistema. Essa foi a forma que usei para viver e para me poupar de ser machucado.

Na adolescência, com 13 anos, comecei a surfar. Essa foi uma união que veio para ficar e lembro que, apesar de existir uma galera mais barra pesada no surf, encontrei minha tribo. As pessoas que conheci no meio do surf eram pessoas que amavam o mar, que viviam apaixonadamente o estilo de vida de ser bodyboarder, ser surfista de um modo geral.

Essa galera vivia uma irmandade muito massa. Éramos todos amigos, unidos, viajávamos, repartíamos o que tínhamos. Uma época muito massa.

Depois de alguns anos eu estava podendo novamente me despir da casca que tinha criado para sobreviver no meio da galera.

Quando chegou a juventude eu ainda surfando e estudando. Só que agora também trabalhando e namorando. Na verdade, nunca deixei de surfar desde que comecei com 13 anos. Tiveram épocas que eram quase todos dias e épocas que era só poucas vezes no mês, no ano, mas a verdade é que nunca parei e sempre que dava estava com a galera.

Apesar que ter vivido essa época da adolescência e juventude não necessariamente envolvido com igreja e ministérios, sei que tudo isso que vivia estava sob o olhar do Criador das Ondas e, apesar de ter uma experiência mais ritualística com Deus, sei que a Graça e o amor de Deus me preenchiam e cuidavam da minha formação e do meu crescimento como pessoa.


Como falei, não sei quando se deu o início da minha caminhada. Me converti ao protestantismo casado, pai de família e sei que essa conversão foi e é muito valiosa para minha vida.

Foi por meio dessa conversão que percebi que Deus se relaciona com a gente. Que Deus está muito além de um ritual, de uma reza ou de uma promessa que possa fazer.

Não que esteja desmerecendo essa forma de experiência com Deus, mas percebo que a experiência de caminhar com Deus é muito maior do que qualquer outro tipo de experiência.

Desde minha conversão Deus tem trabalhado em minha vida e hoje com 36 anos sou líder na minha comunidade. Possuo um ministério onde proclamo a Palavra de Deus para a galera do surf, pois uma das coisas que a conversão ao protestantismo me deu foi a percepção que havia um projeto em minha vida a ser desenvolvido a partir do meu surf e do estilo de vida que possuía.

Foi uma experiência maravilhosa poder unir dois estilos de vida maravilhosos, o surf e o cristianismo. Hoje me sinto um cara privilegiado pois respiro 24 horas ministério. Estou sempre buscando trabalhar novos desafios com a galera e buscar ser um reflexo de Jesus na vida de quem caminha conosco.

Creio que esse aqui deva ser o testemunho que escreveria sobre minha caminhada. Não sei onde ela vai dar mas, independente de onde ela chegue, quero ter a convicção que terei Deus ao meu lado e que estarei sempre buscando ser um reflexo de Cristo na vida dos que estiverem caminhando comigo.

Boas Ondas.

Blog do Carlos ;D
A Paz de Jah
=*

3 comentários:

Wilson Parpinelli disse...

Olá Natália,
tenho um Blog chamado Teologia Inteligente e gostaria de convida-la a participar de uma promoção que estamos realizando. É o sorteio do livro Simplesmente Cristão, escrito por N.T. Wright. Para participar é fácil, é só acessar o blog: www.teologiainteligente.blogspot.com
Espero que participe e boa sorte!!!
PS: Gostei do seu Blog. A proposta é bem diferente. Já estou seguindo. Abraços...

Pastoragente disse...

Graça e paz!
Vim conhecer seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
Já estou seguindo.
Venha dar a honra de sua visita no PASTORAGENTE.BLOGSPOT.COM e, se quiser seguí-lo, vai ser uma alegria para mim.
Lá estão expostas da forma mais realista e divertida possível as situações, dúvidas e experiências ministeriais e pessoais de uma mulher simples como eu.
Fique na paz e o Senhor abençôe você e toda sua família.
Abração!!!

L30 disse...

Otimo exemplo....Gloria a Deus !